O que leva uma mulher a deixar de praticar swing?

O que leva uma mulher a deixar de praticar swing?

Quando uma mulher não quer à partida praticar swing, ela pode ter as suas razões e isso não é um defeito. Cada um vê o swing de acordo com os seus princípios e ideais e ninguém deve ser forçado a adoptar esse estilo de vida. No entanto, uma mulher que já praticou swing durante alguns anos e que de repente deixou de o querer fazer, pode indicar que algo não vai bem na relação a dois. Se isso acontecer, há que tentar remediar a relação primeiro, reestabelecer a intimidade e confiança, não insistindo ou discutindo insistentemente sobre o assunto.
O swing pode ser benéfico para casais que desfrutam de uma relação forte e saudável. No entanto, sentimentos como o ciúme e a autoconfiança estão constantemente em jogo para quem o pratica. Se a mulher se sente com a autoestima em baixo, se está a passar por um período difícil na vida ou uma crise conjugal, o swing pode não ser a melhor prática para o momento.

Na cabeça de uma mulher, o facto de o homem estar envolvido com outra pessoa pode leva-la a pensar que ele já não se sente atraído por ela, que já não a deseja sexualmente como antes, que prefere fazer sexo com outras mulheres. Se ele escolhe parceiras atraentes e de físico apelativo, isso pode leva-la a sentir-se pouco atraente e com baixa autoestima.
Para resolver o problema, aposte na comunicação. Esse é um dos factores fundamentais para fazer a relação amorosa e o swing funcionarem em simultâneo. É fundamental que o parceiro entenda as verdadeiras razões pela repentina falta de interesse por parte da mulher. A elas, cabe-lhes ser sinceras pois não é apenas uma questão de praticar ou não swing. Pode ser o futuro do casamento ou relação que está em jogo. Conversem muito, falem sobre os vossos medos e frustrações de modo a perceberem onde se encontra o verdadeiro problema.

Durante algumas semanas faça sexo só com ela, com bastante intimidade e amor à mistura. Isso vai fazê-la sentir-se especial e amada de novo. Elogie-a e diga o quanto a prefere a todas as outras mulheres. Dedique mais tempo à sua parceira a nível emocional e sexual para que ela ultrapasse todos os medos e frustrações que possa estar a sentir.
Se for preciso, façam uma pausa do swing, principalmente se ela se sente chateada ou zangada consigo quando o praticam, e se o tema já se está a transformar em discussão permanente. Mais vale fazer uma pausa do que por em risco toda a sua prática, ao tornar esse num tema de constante discussão e discórdia.
Estabeleçam regras para a prática de swing. Esta é uma regra tão fundamental em qualquer fase da vida do casal que não é demais relembrar. Se precisarem de ajustar um conjunto de regras estabelecidas previamente, façam-no. Lembrem-se dos tempos em que realizaram fantasias em conjunto no swing, e dos bons momentos que passaram.
O importante é entenderem que se já foram felizes a praticar swing e agora não o são, há que encontrar o motivo e resolve-lo. O importante é não transformar o tema numa discussão permanente e não culpa-lo pelos problemas que possam estar a ter.

 

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION