Falta de memória? Faça sexo

Os benefícios do sexo são inúmeros e vão muito além do prazer e satisfação momentâneos.

 

Os estudos já comprovaram que a actividade sexual regular melhora o humor, a saúde e aspecto da pele, combate o stress e a depressão, previne problemas urinários, reduz a tensão arterial, combate dores corporais e enxaquecas e ainda promove o emagrecimento. Mas para além dos conhecidos efeitos na saúde física e mental, um estudo australiano encontrou mais um: a melhora da função cerebral.

O estudo baseou-se na análise de testes cognitivos realizados a vários casais de meia-idade, com foco na capacidade de memorização a curto e longo prazo. Foram mais de 6000 adultos acima dos 50 anos inquiridos durante dois anos de trabalho pela Universidade de Wollongong, no projecto intitulado ” English Longitudinal Study of Ageing (ELSA)”. Os resultados da análise foram publicados pela revista Archives of Sexual Behaviour.

Os testes demostraram que os casais sexualmente activos apresentam um desempenho superior face aos que não praticam sexo frequentemente. Os inquiridos sexualmente activos demonstraram maior capacidade em recordar eventos recentes e maior agilidade mental face aos mais passivos. Os resultados não mentem, o sexo melhora mesmo a memória. E nem é preciso muito. Os estudos apontam para uma frequência média de duas vezes por semana para uma actividade cerebral melhorada.
Claro que existem factores a ter em conta que vão além do número de vezes que um casal pratica sexo. O estudo teve em conta factores como a idade, hábitos alimentares, estatuto socioeconómico e saúde dos participantes mas ainda sim, o efeito preponderante do factor sexual fez-se sentir. Os participantes revelaram inclusivamente detalhes íntimos como a frequência com que se beijam e como e quando se tocam antes de passar à fase do sexo.

Já não é a primeira pesquisa que aponta conclusões deste tipo. A investigação da capacidade cognitiva realizada em ratos teria já concluído que o sexo promoveria o crescimento de novos neurónios e teria um impacto positivo no hipocampo, a região do cérebro responsável pela agilidade mental e memória.
Embora não seja capaz de travar o declínio cognitivo natural da idade, é uma boa forma de manter o cérebro activo e a mente sã. Outros factores genéticos, a presença de doenças degenerativas e a alimentação terão um impacto que não está dissociado da capacidade de memória.

Ainda assim, o melhor é prevenir e por isso faça sexo. Os efeitos a nível da saúde e mente estão mais do que comprovados e é a melhor forma de manter o amor e a felicidade na relação amorosa. E mesmo que seja mais jovem, comece já a exercitar o cérebro.

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION