O vício do sexo: um problema real

O vício do sexo: um problema real

A compulsão sexual, mais vulgarmente conhecida como o vício do sexo, é um problema psicológico real. No entanto, este é por vezes ignorado não chegando a receber o tratamento que necessita. Gostar de sexo é normal, mesmo que seja em grande quantidade. Pensar muitas vezes em sexo, querer experimentar coisas novas, relações com vários parceiros e fantasias pouco comuns não são por si só sinais de alarme. No entanto é preciso entender os sintomas para um correcto diagnóstico deste problema.

O vício do sexo não é mais do que um transtorno obsessivo-compulsivo. Este tipo de problema psicológico faz com que os seus portadores não consigam controlar os seus pensamentos e impulsos. Um portador da doença não consegue deixar de pensar em realizar as suas fantasias e desejos, sendo consumido por elas, o que afecta a sua vida amorosa, produtividade no trabalho, relações sociais e em família e a própria auto-estima.

De acordo com Juliana Cambaúva, psicóloga e educadora sexual, “Muitas vezes as fantasias chegam a um nível de excitação tão intensa que o indivíduo não consegue controlar o impulso de realizá-las, não importando se está no ambiente de trabalho ou em locais públicos e nem com que parceiro vai praticar sexo”.

A dependência do sexo acaba por tornar-se um problema sério como se da dependência do álcool ou drogas se tratasse.

Sintomas

O vício do sexo avalia-se em termos do quanto este afecta o estado emocional do indivíduo, e a sua capacidade em levar uma vida normal.
Dentro dos sintomas mais comuns encontram-se a masturbação compulsiva, comportamentos sexuais de risco( sem uso de preservativo), obsessão pelo exibicionismo e voyeurismo, desprezo pelas vontades e gostos do parceiro focando-se nos próprios desejos, uso do sexo para controlo emocional, e utilização excessiva da pornografia.
O vício no sexo está muitas vezes ligado a abusos sexuais ocorridos na infância embora este não seja um factor imperativo para que tal aconteça.

Consequências

O vício no sexo pode destruir a vida amorosa, social, familiar e profissional de uma pessoa. Conforme a gravidade do problema, o indivíduo poderá sofrer problemas económicos, dificuldades em socializar com outros e dificuldades de concentração no trabalho. Nos casos mais graves a compulsão sexual pode mesmo levar à perda do emprego, da auto estima e interesse na vida e à destruição de múltiplos relacionamentos amorosos.

Tratamento

Como qualquer distúrbio psicológico, o primeiro passo no tratamento é procurar ajuda num psiquiatra. Este poderá ajuda-lo com medicação, terapia, ou sugerir uma clínica de recuperação. Se se identificou com alguns dos sintomas, procure ajuda e recupere o controlo da sua vida.

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION

one × five =