Encontros a quatro. Serão futuros swingers?

Encontros a quatro. Serão futuros swingers?

Uma tendência ainda recente, mas que tem vindo gradualmente a aumentar, é a prática dos encontros a quatro ou o conhecido “double dating”. Quem o pratica diz estar mais feliz na relação e garante que não quer outra coisa.

A ciência explica. De acordo com um estudo desenvolvido por Geoffrey Greif e Kathy Deal, dois cientistas da Universidade do Maryland, nos Estados Unidos, quando estamos com outro casal, tendemos a achar o nosso parceiro mais atraente. Para chegar a estes resultados, a pesquisa envolveu 245 pessoas casadas ou numa relação amorosa. Os resultados mostram ainda que temos maior tendência a divertir-nos se o nosso parceiro também se está a divertir.

No entanto este comportamento tende a ocorrer em estágios mais avançados da relação. No início, a relação passa por uma fase de enamoramento, descoberta e paixão, e as pessoas tendem a viver essa fase a dois. É um estágio natural dado que nesta altura o cérebro ainda só processa as qualidades da outra pessoa, sendo os defeitos mascarados pelo sentimento de novidade e paixão cega.

Com o avançar da relação fica o amor, e instalam-se a rotina e momentos de tédio. Os encontros a quatro podem ser benéficos nesta fase, promovendo o bem-estar e a prática de novas atividades.
Almoços, idas ao cinema ou praia, a prática de desporto e saídas à noite, todas estas atividades podem ser benéficas se praticadas a quatro.

Os “double dating” podem até melhorar a relação do casal e ajuda a resolver problemas já que cada casal tende a procurar companheiros de saída semelhantes, acabando por se rever neles.

Assim, podem corrigir os próprios comportamentos errados dos quais se apercebam no “casal-espelho”.

Se os encontros a quatro podem ser benéficos, os psicólogos lembram que é sempre necessário que existam momentos a dois. Descurar este tempo trará mais problemas que benefícios pelo que há que gerir o tempo de forma equilibrada.

Mas será que é aceitável convidar o casal a praticar swing? Há que preparar terreno antes de lançar uma questão tão intima como essa que pode vir a comprometer o futuro da amizade. Procurem saber o que o vosso casal amigo pensa do assunto sem propor nada de antemão. Se a resposta for positiva, porque não se aventurarem e dar um passo a frente na relação?

swing. Há por exemplo casais para quem os beijos no swing estão expressamente proibidos. Pode parecer estranho, mas isto faz com que os beijos se tornem um elemento íntimo o casal, um ato de amor, que só eles podem partilhar.

Se a vossa relação está a passar por um período difícil, dê prioridade ao amor. Faça uma pausa no swing e trate da sua relação primeiro pois só casais fortes e unidos terão um futuro feliz neste mundo da troca de casais.

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION