Cap D’Agde A capital mundial do swing

É preciso visitar Cap D’Agde uma vez na vida. Esta pequena cidade do Sul de França começou como um retiro naturista no final dos anos 50, mas os estímulos da pele abriram as portas a quem procurava sensações mais intensas.

Do pequeno parque de campismo original, Cap D’Agde cresceu para a maior área urbana de nudismo do mundo, graças a um plano de urbanização turística do governo francês nos anos 60, que acabou por contemplar a tradição local e criar uma zona específica para a prática.

Rapidamente, o espírito livre e descontraído do local levou a que outros grupos se dirigissem para Cap D’Agde, que ganhou uma energia e uma vibração renovadas com a chegada dos swingers.

As dunas da praia de nudistas tornaram-se num ponto de encontro para swingers e exibicionistas, e a polícia vedou a área para prevenir todas as atividades sexuais. Mas o tempo e as mentalidades enterraram a cerca na areia e agora podemos encontrar grupos a observar casais ou a participar na diversão, com os pés no Mediterrâneo.

O swinging foi ganhando espaço e atingiu uma escala inimaginável em qualquer outro local do mundo. A cidade adaptou-se a este novo mercado e criou as condições necessárias para receber este mercado específico.

Há hotéis com condições específicas à prática do swinging, assim como eventos específicos para casais à procura de novas experiências com outros casais. Se tudo pode começar com um primeiro olhar a nu na praia, à noite a sensualidade e o erotismo passeiam-se com indumentárias provocantes, havendo alguma liberdade para a intimidade explícita em alguns espaços públicos.

Se preferirem espaços mais reservados, existem mais de 10 clubes dedicados ao swing em Cap D’Agde, onde o vestuário é uma necessidade temporária. Pelo menos até embarcarem num espírito mais despojado.

Se estiverem mais interessados nas atividades e menos no à vontade, podem ficar pelas redondezas de Cap D’Agde como se estivessem a fazer turismo tradicional, de calções e chinelos, e pagar um bilhete para entrar no resort à noite. Se encontrarem alguém que vos queira receber e brincar convosco, é muito provável que terão as condições necessárias para o fazer.

No fundo, Cap D’Agde é um resort que serve públicos com interesses muito particulares e um conjunto de regras muito peculiar. A experiência turística não é extraordinária, mas a experiência de vida é. Cap D’Agde tem um espírito inigualável, muito pela força da escala. Em nenhum outro lado do mundo conseguirão encontrar tantas pessoas despidas (literalmente, e de) de preconceitos, interessadas em interagir com outros de forma livre e descontraída, sem que isso incomode ninguém.

Se preferirem, podem organizar uma excursão com os vossos casais favoritos, há hotéis e clubes que aceitam marcações de grupos. Há conforto e segurança nos números, mas podem também arriscar e ir sozinhos. A maioria dos visitantes é de Espanha, França, centro e norte da Europa, e ingleses. Se têm o fascínio pelo desconhecido, e por desconhecidos, então Cap D’Agde é o vosso sítio.

Localização

Sul de França, a pouco minutos de Montpellier

Alojamento

Hotéis para swingers: Natureva Spa, Hotel Eve, Oz’inn hotel & Spa, Pearl Luxury Cottages
Apartamentos no complexo naturista, em instalações renovadas. Marcações através de Peng France e AGN.

Eventos

Existem imensos eventos organizados pelos promotores locais e pelos bares na vila naturista. Podem também apenas desfrutar das esplanadas dos diversos cafés ou dos espaços públicos.

Praia

A praia tem mais de quilómetro e meio e está dividida em área de nudistas, e área adulta, onde a acção mais intensa decorre. Estejam atentos a estas subtis separações para não incomodarem nem serem incomodados por quem está lá por motivos completamente diferentes dos vossos.

Já lá foram? Partilhem a vossa experiência – e recomendações – com todos.

About the author

Related

JOIN THE DISCUSSION